30 setembro 2009

UP - Altas Aventuras


Tirei da Folha Online de ontem

"A animação da Disney/Pixar "Up - Altas Aventuras" liderou as bilheterias dos cinemas brasileiros pelo quarto fim de semana consecutivo.

De acordo com dados do Filme B, o longa arrecadou cerca de R$ 1,7 milhão entre a última sexta-feira (25) e domingo (27) e levou mais de 155 mil pessoas aos cinemas."

Assisti a esse filme com o Marcelo. É bem legalzinho, mas não é um filmaço. Daqueles inesquecíveis, como o "Wall-E". A produção é impecável, como tem sido habitual nessas animações mais recentes, só que o andamento é desigual e a história um pouco inverossímil demais.

Não pude deixar de lembrar daquele padre que sumiu no mar, no Paraná, depois de levantar voo alçado por balões de hidrogênio. O começo do filme é realmente empolgante, perdendo um pouco o pique do meio para o fim. Não deixa de ser um bom programa para fazer com a gurizada ou mesmo sozinho.

27 setembro 2009

Nosso Hino

Agora é obrigatório. As escolas de ensino fundamental terão que executar o Hino Nacional Brasileiro pelo menos uma vez por semana para seus alunos. Eu acho ótimo. Primeiro, porque considero nosso hino muito bonito. Um pouco difícil de se entender, com algumas frases invertidas e palavras de pouco uso comum. Mas, dentre os hinos que conheço, é certamente um dos mais marcantes. E essa complexidade da letra acaba sendo útil, afinal amplia a compreensão de textos por parte das crianças.
Segundo, porque sabendo a letra do hino e cantando-o uma vez por semana, podemos incutir um pouco mais de civismo e patriotismo na petizada. Hoje em dia, crescemos descendo a lenha em nosso país, criticamos demais tudo e todos. Muito por culpa de uma boa parcela de políticos que, com o decorrer dos anos, vem fazendo as instituições legislativas e executivas perderem a credibilidade.
A execução do hino semanalmente não vai resolver os enormes problemas educacionais que temos, mas pode fazer a criançada se lembrar que somos brasileiros todos os dias e não apenas em época de Copa do Mundo de futebol.

25 setembro 2009

Cena paulistana

Aqui em São Paulo todo mundo tem algum caso de violência urbana para contar. Se não aconteceu com a própria pessoa, um parente, vizinho, amigo ou conhecido foi a vítima. Assaltos, acidentes, sequestros e toda sorte de acontecimentos comuns às metrópoles. E isso faz as pessoas estarem sempre assustadas, alertas, atentas, esperando pelo pior. Parece que já está incorporado ao dia-a-dia, à rotina de todos. Meio paranóia geral mesmo.
Essa semana fui levar o Marcelo à fisioterapia. Como o tempo estava chuvoso, eu vestia uma blusa de moletom, estilo 'canguru', aquelas que tem capuz e um bolso de cada lado na altura da barriga. Enquanto ele estava na sessão, fui à esquina, na banca de jornal. Na volta, ao passar num estabelecimento que vende água em galões, bem ao lado da clínica onde meu carro estava parado, havia uma senhora de pé na porta. Eu estava com o celular em um bolso da blusa e as chaves do carro no outro. Ao me aproximar da senhora, já fui enfiando as mãos nos bolsos para retirar minhas chaves. Ela ergueu as mãos e as colocou na cabeça e gritou: "Ai hómi, que susto que você me deu. Pensei que fosse me assaltar..."
Paranóia total. Ela pensou que eu fosse um ladrão e que tiraria uma arma da blusa. Só que não a condeno. A gente acaba ficando assim, um tanto assustado. Ninguém mais tem aquela tranquilidade de outrora...

23 setembro 2009

Hora de Música

Música com melodia boa e letra simples me agrada. Essa é demais. Tem um monte de gente que já gravou. A versão que não sai da minha cabeça é essa aí do Taiguara. Ele era uruguaio de nascença e foi criado no Brasil. A interpretação dele é primorosa. Na medida! A música pode descambar se o cantor se exceder no sentimentalismo. Ele acertou em cheio. Espero que vocês gostem.

A música é de Chico Buarque, Vinicius de Moraes e Garoto. Tem jeito de ser ruim? Fala sobre pessoas simples, que são a imensa maioria nesse Brasilzão nosso. Ainda quero falar sobre isso em outro post: o Brasil é simples, humilde, sertanejo....



GENTE HUMILDE

Tem certos dias
Em que eu penso em minha gente
E sinto assim
Todo o meu peito se apertar
Porque parece
Que acontece de repente
Como um desejo de eu viver
Sem me notar
Igual a tudo
Quando eu passo no subúrbio
Eu muito bem
Vindo de trem de algum lugar
E aí me dá
Como uma inveja dessa gente
Que vai em frente
Sem nem ter com quem contar

São casas simples
Com cadeiras na alçada
E na fachada
Escrito em cima que é um lar
Pela varanda
Flores tristes e baldias
Como a alegria
Que não tem onde encostar
E aí me dá uma tristeza
No meu peito
Feito um despeito
De eu não ter como lutar
E eu que não creio
Peço a Deus por minha gente
É gente humilde
Que vontade de chorar.

21 setembro 2009

Genérico

Essas contorcionistas são impressionantes...

Ainda em "soft opening" o Teatro Bradesco, no Shopping Bourbon, abriu as portas para o espetáculo "Piratas", do Circo Nacional da China. As atrações são realmente boas e praticamente não se percebe as 2 horas de apresentação. São 36 artistas-atletas se revezando em números fantásticos.

A produção é simples. Caio na tentação de comparar com o Cirque du Soleil, que tem as mesmíssimas atrações, mas com uma produção muito mais caprichada, e com o ingresso pelo triplo do preço. Vamos dizer que seja o 'genérico' da companhia canadense...

O teatro merece um destaque à parte. Muito confortável e extremamente bonito. Num estilo clássico, com balcões, camarotes e visão boa de qualquer ponto. Vai pegar!

17 setembro 2009

Esquilo em Poços?

video

Na minha santa ignorância, sempre pensei que esquilos fossem coisa do hemisfério Norte. Que existissem apenas nos países de clima frio e onde houvessem nozes para eles se alimentarem. Deve ser a influência dos desenhos de Tico e Teco que tanto vi na minha infância.

Outro dia, descendo a serra do Cristo, em Poços, vi um esquilo atravessando a estrada. Consegui filmar alguns segundos de sua agilidade pelos galhos da mata. O bicho é esperto mesmo. Será que não é esquilo? Existe esquilo no Brasil? Alguém pode ter soltado algum esquilo na mata, após não querer tê-lo mais como bicho de estimação?

Alguma luz?

16 setembro 2009

Pra Pensar...

O amigo Garça me enviou esse texto. É do grande líder espiritual indiano Mahatma Gandhi. Garça disse que pensa na filha dele quando o lê. Eu já pensei no meu filho. E resolvi postar para que todos meus amigos possam ler, meditar e pensar em quem quiserem...

"Se eu pudesse deixar algum presente a você, deixaria aceso o sentimento de amar a vida.
A consciência de aprender tudo o que nos foi ensinado pelo tempo afora.
Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem.
Daria a capacidade de escolher novos rumos, novos caminhos.
Deixaria, se pudesse, o respeito àquilo que é indispensável:
alem do pão, o trabalho e a ação.
E, quando tudo mais faltasse, para você eu deixaria, se pudesse, um segredo:
O de buscar no interior de si mesmo a resposta para encontrar a saída."

14 setembro 2009

Beca

"Sempre tem uma primeira vez, né?. Meu pai e minha mãe resolveram que eu tinha que colocar um blazer para ir na festa de 15 anos da minha amiga Lívia Togni. Eu até que gostei. Peguei emprestado do meu avô. É confortável e ficou bacana..."

12 setembro 2009

A Força dos Ipês


Essas duas imagens mostram a força e a beleza dos ipês. A de cima é em frente a uma casa em Poços. Mesmo cercada por primaveras, ela se destaca, chamando a atenção de qualquer ser humano com um mínimo de sensibilidade. E a de baixo é o panorama da janela do meu escritório em São Paulo. Uma explosão amarela em meio ao cinzento concreto dos prédios ao redor. Em ambas pode-se admirar a espantosa cor das flores dessa árvore surpreendente. Nenhuma folha e incontáveis chumaços coloridos. Pena que durem tão pouco.

10 setembro 2009

Dedicado a Senna

Forçando um pouco dá para ler, ali no pedaço que começa com "This record is in memory of" .
(Grato ao Tiago Pagin pelo grifo na imagem)

Animado pelas 2 músicas que ouvi pela Internet, decidi comprar o disco que o filho do George Harrison, Dhani, lançou ao lado de um parceiro, Oliver Hecks, sob o nome de "thenewno2". O disco não é lá grande coisa, para o meu gosto. Muita eletrônica, sintetizadores, etc... Tem umas canções bastante interessantes, dando uma sensação que o filho do beatle que mais me identifico pode vir a ter uma carreira produtiva e de qualidade.

O que mais me chamou a atenção no disco foi um detalhe do encarte. Ele dedica o disco à memória de algumas pessoas próximas da família, como Derek Taylor, Neil Aspinall, e, para meu espanto, a Ayrton Senna. É sabido que George era chegado numa corrida, mas nunca pensei que seu filho tivesse esse mesmo gosto e chegasse a esse ponto.

Boa. Mais um ponto a favor do Dhani.

09 setembro 2009

Pré-Sal

O repórter perguntava às pessoas na rua se elas sabiam o que era o "Pré-Sal", até que um espirituoso mandou essa:
— É pressão sem o til?
Faz sentido...

08 setembro 2009

Marafalda

Um leitor da jornalista Barbara Gancia postou no twitter dela uma mensagem dizendo que o Maradona estava ficando a cara da Mafalda, outro grande ícone argentino.

Concordo! Só falta o lacinho na cabeça...

07 setembro 2009

Burle Marx

Eu e o Beto...
Peguei uma ótima exposição de Roberto Burle Marx no Museu de Arte Moderna, no Parque do Ibirapuera. Esse ano é o centenário de nascimento dele. O cara era fera mesmo. Além de projetos paisagísticos diversos, pelos quais ficou mundialmente famoso, ele era escultor, pintor, design de jóias, fotógrafo, etc... Achei muito bom programa e de graça (somente aos domingos).

05 setembro 2009

02 setembro 2009

A Cabana


Acabo de terminar de ler o livro "A Cabana", best-seller do escritor norte-americano William P. Young. Muito raramente leio obras que figuram entre os mais vendidos. Não sou um leitor voraz e nem fico correndo atrás dos sucessos para estar 'antenado'. Minha mãe ganhou esse livro de presente e perguntou se eu queria ler. Ela tinha gostado.
Achei o livro interessante, apenas um pouco pretensioso. A abordagem de como seria um encontro com Deus é atraente até um certo ponto. É uma questão muito pessoal e esse tema não mexe exatamente comigo. Certamente, o enredo é sólido e bem escrito. Faz a gente parar para pensar em alguns momentos e pode deixar boas mensagens sim. Acho que depende muito da pessoa. Tem gente que se sensibiliza mais com esse assunto ou até que precisa mais ouvir esse tipo de mensagem.